Não faz muito tempo que todas as suspensões de bicicletas tinha molas. Como a tecnologia progrediu, o peso mais leve e os as suspensões a ar mais facilmente substituíveis tomaram conta do mercado. A suspensão com molas não está morta, no entanto, a tecnologia nesse lado da moeda progrediu tão rapidamente, com os produtos atuais de suspensão com mola sendo uma fração do peso de seus predecessores, e capaz de imitar muitos dos ajustes de aumento de desempenho de seus colegas de ar comprimido.

Para os fins deste artigo, vamos supor que a maioria dos leitores está usando um amortecedor com suspensão pneumática a ar. Esses são os padrões da indústria atualmente e certamente tem seus benefícios. A escolha de mudar para uma suspensão de mola não é ideal para todos, e este artigo ajudará você a decidir qual a melhor suspensão para sua bicicleta.

Por que escolher suspensão de molas para bicicleta?

O principal benefício de uma mola, o que os modernos modelos a ar lutam para emular, é a flexibilidade da suspensão, especialmente na parte inicial do percurso. Suspensões com mola exigem menos esforço para iniciá-los em movimento, e esse esforço não aumenta tão rapidamente quanto com suspensões a ar, e isso significa que eles exigem menos amortecimento para proporcionar melhor tração e controle da bicicleta. A diferença é pequena, mas perceptível para um bom piloto. Os modelos com molas também são menos propensos a aquecer em longas descidas, e seu desempenho não é alterado em corridas de descidas mais longas, como nos cursos de enduro modernos.

Você simplesmente não consegue superar o desempenho obtido com uma suspensão de mola. Por melhor que seja a tecnologia de molas a ar, você ainda tem um sistema de ar altamente pressurizado, o que significa vedações extras e atrito. As molas pneumáticas também são afetadas pelo calor, umidade, altitude e assim por diante, o que causa variações no desempenho.

Fabricantes de suspensões modernas estão fazendo uma ampla gama de suspensões com moilas para complementar suas ofertas de suspensão pneumática. Alguns já tem uma funcionalidade de bloqueio semelhante à de uma suspensão de ar, tornando-os mais apropriado para bikes de trilha ou cross-country.

Por que escolher a suspensão a ar para bicicleta?

Suspensões a ar são tipicamente mais leves, mais facilmente ajustáveis ​​(podendo mudar sua carga de mola através de uma bomba de choque, ao invés de uma nova mola helicoidal), e funcionam bem com virtualmente qualquer articulação de suspensão. As suspensões a ar modernas são altamente sintonizáveis, comparativamente baratas e robustas.

Um fator importante a considerar antes de trocar a suspensão: nem todas as ligações de suspensão são ideais para suspensões de molas. Certos modelos tem suspensões progressivas, onde a taxa de alavancagem da suspensão aumenta à medida que você passa pela viagem. Isso significa que você pode trocar para uma suspensão de molas sem correr o risco de se afundar tão facilmente, ou ter que executar uma resistência excessiva. Outros designs de bicicleta podem não ser tão progressivos e, portanto, não são adequados para suspensões de mola. Você pode encontrar essas informações online com um pouco de pesquisa. Em termos leigos, uma taxa crescente refere-se a um design de suspensão que se torna mais difícil de comprimir (mais firme) à medida que avança em seu deslocamento. Por outro lado, uma taxa de queda torna-se mais fácil de comprimir (mais suave) à medida que se move pela sua viagem. Taxas fixas são bastante auto-explicativas; a força necessária para comprimir a suspensão permanece relativamente consistente ao longo do curso.

Bicicletas com uma curva de alavancagem progressiva são ideais para suspensões de molas. Uma taxa linear terá um bom desempenho, com a ressalva de que um piloto agressivo pode ter mais instâncias de mais pressão na suspensão do que o normal. Uma bicicleta com uma curva de alavancagem regressiva estará mais propensa a descer com mais frequência, especialmente se estiverem correndo um declínio adequado.

As suspensões a ar dão ao piloto mais opções de configuração. Uma mola de ar com controles de amortecimento de alta e baixa velocidade pode ser firmada para estacionar, suavizada por descidas soltas e soltas, ou configurada como um compromisso entre uma boa pedalada para uso em trilhas, enquanto acumula desempenho suficiente em downhill para aproveitar os baixos. Tudo a partir da mesma suspensão. Molas helicoidais são ofertas mais lineares. Você deve selecionar uma taxa de mola que se adapte ao estilo de pilotagem que você mais gosta e, em seguida, viver com o compromisso, caso o terreno ou a trilha exijam uma configuração diferente. Acionar a pré-carga não vai enrijecer a mola, pois ela apenas torna os golpes de baixa velocidade mais duros e reduz a queda.

Suspensão a ar para bicicletas

Entenda as características de uma suspensão a ar de bicicleta e veja se é o modelo ideal para seu tipo de pedal. (Foto: BikeRadar)

Qual a melhor suspensão: olhando a cinemática de sua bicicleta

Se você é um ciclista que está pensando em fazer um upgrade de suspensão para sua bicicleta no mercado de reposição, provavelmente está pesando os prós e contras e fazendo algumas comparações em que as suspensões oferecem mais adaptabilidade do que considerar isso na sua decisão. É importante ter uma compreensão bastante decente da cinemática de suspensão da sua bicicleta. Dentro disso, existem duas variáveis ​​que merecem ser consideradas: o índice de alavancagem e a curva da taxa de alavancagem.

Queremos manter este artigo relativamente simples e evitar mergulhar muito longe, já que a suspensão é um assunto incrivelmente complexo, mas aconselhamos vivamente que faça alguma pesquisa sobre a sua bicicleta em particular antes de comprar uma suspensão pós-venda. Tem um índice de alavancagem alto ou baixo? Tem uma curva de taxa de alavancagem mais linear ou mais progressiva? Há tons de cinza dentro de todas essas variáveis ​​e também como elas se cruzam, mas ambas devem ser consideradas na sua decisão entre o ar e a bobina.

Relação de alavancagem alta vs. baixa

Determinar a taxa de alavancagem é, na verdade, bastante simples: pegue o deslocamento total e divida-o pelo curso da suspensão. Grosso modo, as bicicletas de montanha variam de cerca de 2,3:1 (baixa alavancagem) até 3:1 (alta alavancagem). Por exemplo, um modelo de viagem de 180mm usa 75mm de curso de choque para uma taxa de alavancagem de 2,4:1, o que é bastante baixo. Por outro lado, uma bicicleta de enduro possui 170mm de curso traseiro e utiliza apenas 57mm de curso de suspensão para uma taxa de alavancagem aproximada de 2,98:1, o que é bastante alto. Assim, uma suspensão traseira que é perfeito para o primeiro modelo, pode não ser uma boa escolha para o Enduro, e vice-versa.

Taxas de queda, lineares e progressivas

O design da suspensão do quadro é o que determina onde um quadro fica ao longo do espectro das curvas de taxa de alavancagem. A sua bicicleta é um pivô único? Possui uma ligação de modificação de taxa ou uma ligação de modificação do caminho do eixo? Sua ligação modifica a taxa e o caminho do eixo? Sendo assim, quanto? Não existem regras rígidas e rápidas demais, nas quais podemos marginalizar determinados tipos de projetos de suspensão, oferecendo taxas específicas, pois há várias maneiras de implementar cada projeto.

Com isso em mente, é melhor fazer alguma pesquisa sobre sua bicicleta em particular. No entanto, isso pode ficar um pouco obscuro, já que a maioria dos fabricantes não fornece dados específicos sobre suas bicicletas abertamente. Vídeos comparativos podem ajudar você a entender melhor onde fica sua bicicleta. Além disso, pesquisas e revisões gerais também podem ser de grande ajuda.

Fatores a considerar ao escolher bike com suspensão a ar ou com mola

Aqui estão algumas generalizações soltas a serem lembradas ao escolher entre ar e molas:

Se você está procurando uma sensação mais progressiva, provavelmente vai querer uma suspensão a ar. As molas helicoidais são de natureza mais linear do que as suas contra-partes com suspensão pneumática nos garfos e nos amortecedores.

Por outro lado, se você está atrás de uma sensação mais linear em uma bicicleta que está um pouco no lado progressivo, você pode querer inclinar-se para uma suspensão de molas helicoidais.

Se sua bicicleta tiver uma alta taxa de alavancagem, é provável que seja melhor evitar uma mola helicoidal, a menos que sua bicicleta tenha uma forte e crescente taxa de aproximação (leia-se: progressiva). Assim, um quadro de alta alavancagem, pivô simples (leia-se: linear) provavelmente irá estourar sua viagem e sair com frequência se você colocar uma suspensão de mola. Em vez disso, é mais adequado para uma suspensão a ar com alguns redutores de volume.

De um modo geral, as bicicletas com menores taxas de alavancagem vão jogar melhor com choques aéreos de maior volume. O inverso também é verdadeiro, com bicicletas de alavancagem mais altas requerendo suspensões a ar de menor volume. Hoje em dia, os engenheiros estão tendendo a projetar bicicletas com taxas de alavancagem menores e, portanto, os fabricantes de suspensões estão projetando modelos com maior volume de mola de ar positivo e negativo.

Peso

Não é de surpreender que a mudança para uma suspensão de mola atinja algum peso. Grosseiramente falando, com uma mola de aço, sua bicicleta vai ganhar cerca de um quilo. Se você tem o dinheiro de sobra, você pode fazer algum controle de danos, optando por uma mola de titânio e, em média, você adicionará cerca de meio quilo. O peso extra que vem junto com uma mola é que esses modelos vão atrair principalmente pilotos com bicicletas de viagem mais longas, que em essência já são um pouco mais difíceis de subir morros.

Sensibilidade (tração)

Não é segredo que suspensões de molas helicoidais tem melhor tração e são tipicamente mais sensíveis na trilha. Isto é principalmente porque há menos selos necessários. Vale ressaltar que, ultimamente, as suspensões a ar melhoraram maciçamente nesse aspecto. Com o dimensionamento de choque métrico e as molas pneumáticas de maior volume, temos tendência a funcionar com 30 PSI a 50 PSI a menos de pressão no choque traseiro tradicional.

Menos atrito de vedação equivale a maior tração, pois o eixo do amortecedor pode reagir a mudanças direcionais mais rapidamente. Então, no que diz respeito à sensibilidade e tração, as suspensões de molas helicoidais ganham de longe ainda.

Quem deveria estar mais preocupado com isso? A resposta curta é qualquer um que esteja pressionando seus limites. Isso inclui pessoas que estão correndo e/ou montando um terreno super exigente. Se você costuma andar em terrenos irregulares, você valoriza toda a tração que conseguir, de modo que uma mola é o caminho a percorrer. Se você estiver principalmente em trilhas e parques de bicicletas, provavelmente ficará bastante satisfeito com uma suspensão a ar.

Ajustabilidade

Suspensões a ar levam a vitória aqui. Com alguns redutores de volume e uma bomba de suspensão, você praticamente tem liberdade para se envolver com sua firmeza e progressão quase infinitamente. Uma suspensão de mola exigirá a troca de molas físicas que geralmente são limitadas a incrementos de 50 libras ao invés de serem capazes de sintonizar por .5 PSI em uma bomba de suspensão digital. As molas helicoidais também custam mais dinheiro do que os redutores de volume de plástico.

Se você achar que a maior sensibilidade à colisão, a facilidade de manutenção e a confiabilidade do desempenho que uma suspensão de mola pode oferecer é algo que você gostaria de considerar, procure um especialista em uma loja de bicicletas. Eles podem ajudá-lo a decidir se a sua bicicleta é adequada para uma suspensão de mola e ajudá-lo a adquirir uma das atualizações de bobinas finas ou te ajudar a escolher um bom modelo de suspensão a ar.

Você prefere suspensão a ar ou mola? Quais modelos já usou?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)