O inventor escocês John Boyd Dunlop fabricou o primeiro pneu em 1887 para evitar que seu filho sofresse dores de cabeça enquanto andava de bicicleta em estradas irregulares. Desde aquele dia, pneus cheios de ar permitem que os ciclistas corram pelo pavimento áspero, enfrentam trilhas rochosas e lamacentas e desfrutam de um passeio suave no asfalto. Porém, o nosso sonho com amortecimento de ar pode rapidamente se transformar em um pesadelo se o pneu furar no meio do caminho.

Pneu da bicicleta furou, e agora?

As perfurações sempre parecem ocorrer nos piores momentos possíveis, como quando você está atrasado em um trajeto, em um passeio de treinamento molhado e congelante no topo de uma colina exposta ou em um evento importante. Infelizmente, furos ocasionais são uma parte inevitável do ciclismo, mas, com a prática, podem ser rápidas de corrigir e existem medidas a serem tomadas para evitar o maior número possível de problemas. O uso de fitas e líquidos anti-furo são apenas duas das formas de evitar as dores de cabeça.

Selantes e fita para não furar pneu de bicicleta

Os selantes líquidos entram no pneu, no tubo interno ou tubular e selam as perfurações até um determinado tamanho. Eles geralmente são baseados em látex e alguns também contêm pequenas partículas que ajudam na vedação. É possível comprar câmaras-de-ar com selante já instalado e, especialmente se você pratica mountain bike em áreas montanhosas, estas podem ser uma solução conveniente. A desvantagem é que eles são caros e acrescentam massa rotativa às suas rodas.

Para a maioria das configurações sem câmara de ar, o uso de um selante faz parte da configuração dos pneus e da garantia de que o sistema mantenha pressão. Uma vez inflado, o selante está lá para selar as perfurações. A instalação de um pneu sem câmara de ar com selante pode ser confusa e torna a troca de pneus adequada às condições da pista. No entanto, para mountain bikes, as vantagens que os pneus sem câmara de ar superam definitivamente esses contras. Também é possível usar um selante em pneus tubulares como medida preventiva, mas é aconselhável verificar as recomendações dos fabricantes, pois alguns selantes à base de amônia atacam e degradam a parte interna do tubo.

Você também pode comprar fitas e tiras resistentes a perfurações que ficam entre o pneu e o tubo interno, adicionando uma camada adicional de proteção. Porém, com a moderna tecnologia e materiais de proteção de pneus, essas são geralmente uma adição desnecessária que adiciona peso significativo às suas rodas. Provavelmente vale a pena considerar se você pratica mountain bike em trilhas muito espinhosas e não deseja alterar os pneus sem câmara de ar.

Porém, o mais importante é saber que essas fitas pode não proteger seu pneu contra alguns tipos de furos.

Fita antifuro para bicicleta

Uma fita para proteger contra furos pode ajudar a evitar acidentes com sua bike. (Foto: eBay)

O melhor anti furo de bike não vai proteger seu pneu contra alguns tipos de punções

Existem dois tipos principais de punção. O primeiro é um furo de penetração, onde um corpo estranho, como um espinho, prego ou pedregulho, atravessa o pneu. Esse tipo de perfuração pode variar de um pequeno espinho que resultará em um pequeno orifício que vazará lentamente o ar, a um grande corte na parede lateral causado por uma rocha afiada que causará uma deflação instantânea.

O segundo tipo são punções por impacto, pitada ou mordida. Isso acontece quando você atinge uma borda afiada, como um buraco, e o tubo interno é comprimido na borda, causando a perfuração. Essas perfurações são caracterizadas pelas duas fendas paralelas no tubo interno que causam

O pneu certo vai ajudar mais do que um selante

Os pneus super leves podem ser ótimos para o aumento do desempenho no dia da corrida quando cada segundo conta, mas os pequenos ganhos que eles proporcionam precisam ser pesados ​​contra as maiores perdas que você pode acumular nos momentos de reparos. Para o treinamento diário na estrada e esportivos, há muitos pneus disponíveis com a tecnologia de proteção contra furos, como o reforço de Kevlar, que não são muito pesados.

Considere pneus mais pesados ​​para tarefas de treinamento de inverno, mas saiba que os mais baratos geralmente têm um composto de borracha muito duro que pode ser escorregadio. Os deslocamentos urbanos podem exigir pneus ainda mais robustos para combater vidros quebrados. Os ciclistas de montanha precisam considerar as trilhas em que costumam andar. Se eles são rochosos, especialmente com pedregulhos, você precisará de paredes laterais mais resistentes.

Pressão dos pneus para evitar furos

A verificação da pressão dos pneus deve fazer parte da sua rotina de pré-condução usando uma bomba de esteira com um manômetro preciso. Os pneus terão uma faixa de inflação recomendada impressa nas paredes laterais, mas não os bombeiam ao máximo. A pressão correta depende do peso do ciclista e das condições da estrada ou trilha. Você precisará experimentar e procurar aconselhamento para descobrir qual pressão funciona melhor para você.

Como a maior parte do seu peso passa por cima da roda traseira, é normal executá-la a uma pressão mais alta que a da frente. Um pneu com pouca pressão será muito mais propenso a beliscar planos e perfurações de espinhos, mas é mais provável que um pneu com pressão insuficiente seja danificado por pedras afiadas, pois não se deforma ao seu redor. Os ciclistas de montanha e os ciclocross são frequentemente forçados a correr pressões muito baixas para manter a tração e, por isso, o uso de pneus tubulares ou sem câmara nega o risco de causar furos, pois não há câmara de ar.

Manutenção e verificações de rotina

Além de verificar a pressão, antes de cada viagem, inspecione cuidadosamente os pneus. Passe as mãos sobre eles para encontrar protuberâncias ou corpos estranhos incomuns e procure com cuidado fragmentos, vidro ou pedregulhos que ainda não foram trabalhados para causar um furo. Como parte da limpeza pós-passeio, limpe os pneus e verifique novamente se há danos. É sempre melhor encontrar um problema e resolvê-lo do que quando você está saindo pela porta para sua próxima viagem ou a alguns quilômetros adiante.

Técnica de pilotagem, seleção de linha e posicionamento da estrada

Alguns pilotos parecem mais propensos a perfurações e, embora em casos raros isso possa significar pura má sorte, a habilidade desempenha um papel significativo. Especialmente ao andar fora de estrada, usar o corpo para absorver choques e escolher linhas mais suaves, tudo reduz o risco de apartamentos. Na estrada, ter boas habilidades de manuseio de bicicleta também ajudará a evitar furos. Eles permitirão que você evite riscos óbvios de perfuração, como cascalho ou cacos de vidro e, em casos extremos, salteie um buraco ruim.

Se você estiver dirigindo em um grupo, verifique se os principais riscos da superfície da estrada são apontados e se o aviso, geralmente apontando para o ponto da estrada, é passado pelo grupo. Use bom senso e discrição se você for o piloto da frente. Você não precisa apontar todos os solavancos e manchas na estrada, apenas os principais riscos. Finalmente, não ande na sarjeta. Isso não apenas incentivará os carros e outros veículos a tentarem passar por você, mas perfurar causando detritos nas estradas.

Clima e furos nos pneus

Não é por acaso que as perfurações são mais comuns em clima úmido. Mais areia e detritos são lavados nas estradas e a água atua como um lubrificante para objetos que penetram nos pneus. Não estamos dizendo para evitar andar no molhado, mas, quando o tempo muda para o encharcado, é ainda mais importante ter em mente todas as informações acima, para evitar a ocorrência de furos.

A fita e o selante podem ser paliativos, mas essas dicas podem ser mais práticas para encontrar as melhores soluções.

Dúvidas? Deixem nos comentários suas perguntas e iremos responder!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)