Vindo do mundo das motos, os freios a disco agora se tornaram populares em bicicletas. Os discos proporcionam uma travagem potente e fiável em todos os tipos de clima e terreno, pelo que são ideais para a condução em trilha. Além disso, ao contrário dos freios de aro, os discos não são comprometidos se você bater em um buraco ou aterrissar com dificuldade e empenar sua roda. O freio a disco, inclusive, funciona geralmente de forma hidráulica, e é sobre esse sistema que iremos falar.

Freio hidráulico de bike

Existem diferenças significativas entre os discos e os freios de aro, no entanto. Então, aqui nós fornecemos uma visão geral de como os discos funcionam, os diferentes tipos e as instruções básicas de manutenção.

Os freios a disco geram incrível poder de frenagem mesmo nas piores condições, pois utilizam rotores fixados nos cubos das rodas e pinças presas ao chassi contendo pastilhas especialmente projetadas (também chamadas de “sapatas de freio”).

Ao contrário das almofadas de borracha macias usadas nos freios de aro, os discos usam pastilhas duras de base metálica ou cerâmica que são menos afetadas pela água, lama e calor para obter uma potência de frenagem mais consistente. Além disso, alguns freios a disco usam sistema hidráulico (em vez de cabos); para um poder de parada ainda maior.

Freio a disco hidráulico para bicicleta

Os discos hidráulicos apresentam um sistema fechado de mangueiras e reservatórios contendo fluido hidráulico especial para operar os freios. Quando a alavanca é ativada, um êmbolo empurra o fluido através das mangueiras e para dentro da pinça, onde as pastilhas são empurradas para o rotor, parando a bicicleta.

A vantagem dos sistemas hidráulicos está em ser vedado (ou “fechada”) para que a água, sujeira ou detritos não comprometam os freios, tornando-os de baixa manutenção, uma vez que tenham sido instalados corretamente. Além disso, os freios hidráulicos tem uma sensação suave e sedosa na alavanca e incrível poder de preensão no final do negócio.

Para desvantagens, os freios hidráulicos devem suportar pressão extremamente alta, portanto, a configuração especializada e as inspeções frequentes são essenciais. A menor bolha de ar ou vazamento nos discos hidráulicos pode causar perda de energia ou falha total. E o processo de remoção de ar do sistema de freios, chamado de “sangramento”, varia entre sistemas individuais e pode ser um processo delicado. Então é melhor trazer sua bicicleta para profissionais.

Freio hidráulico

O freio a disco para bicicletas é mais eficiente e exige menor manutenção. (Foto: CycleSeven)

Freio a disco hidráulico para bike e os tipos de pinças/cáliper

Os dois tipos de pinças ou cáliper são os de pistão gêmeos e o de quatro pistões. O segundo é mais eficiente para parar a bicicleta, mas pode ser exagerado se você tem uma bicicleta mais leve e se você mesmo for mais leve. Por isso, é bom conversar com um profissional para saber qual o melhor tipo de pinça para sua bicicleta.

Como funciona o freio hidráulico para bicicletas?

Um reservatório com um líquido especial fica perto da manopla de freio. Nesse reservatório, há uma pinça que é movimentada quando a manopla é acionada. Através de um tubo, esse líquido é movimentado e pressiona as pinças do cáliper que tem as pastilhas do disco de freio. Essas pastilhas prensam o disco, criando um atrito que vai parando a bicicleta. Ao soltar a manopla, o líquido deixa de estar sob pressão, as pastilhas abrem e liberam o disco para que a roda possa se mover normalmente.

Manutenção e resolução de problemas de freios hidráulicos

Embora os freios hidráulicos funcionem maravilhosamente mesmo em condições extremas, ainda é importante mantê-los em forma. A seguir, sugestões básicas de manutenção Diferentes tipos de discos podem exigir manutenção específica não coberta aqui. Uma dica básica é ter cuidado para não apertar a alavanca do freio ao remover as rodas. As pastilhas vão se contrair e você não conseguirá colocar a roda de volta.

Além disso, ao substituir peças ou fluidos, é essencial garantir que tudo seja compatível. E, como os freios são tão importantes para a segurança, não recomendamos trabalhar com eles, a menos que você tenha confiança em sua capacidade de realizar o trabalho corretamente, principalmente na sangria do freio hidráulico.

Inspecionando e limpando os freios hidráulicos

Discos sujos, deformados, rachados ou danificados são uma causa comum de falha nos freios hidráulicos. Os discos raramente são perfeitos, mas se você encontrar ondulações excessivas (mais de 1 mm), rachaduras ou quebrados nos rotores, substitua-os imediatamente.

Uma perda significativa de potência de frenagem também pode ser causada por discos ou pastilhas sujas ou oleosas. Limpe rotores e pastilhas usando apenas álcool isopropílico. Outros limpadores / desengraxantes podem contaminar e danificar os rotores ou as pastilhas. Se a limpeza não restabelecer seu poder de frenagem, substitua as pastilhas imediatamente.

Freios barulhentos são outro problema comum. Isso pode ser causado por parafusos soltos, então comece verificando todos os parafusos nos discos e aqueles que prendem as pinças à bicicleta. Almofadas sujas também podem causar ruído, portanto, mantenha-as limpas. Ainda com barulho? Verifique o alinhamento dos cursores sobre os discos (veja “centralizando as pinças” abaixo).

Para verificar os amassados ​​ou as rotações dos discos, gire a roda e observe os discos à medida que eles passam pelas pastilhas. Desde que o rotor não esfregue, um leve movimento lateral é aceitável. Se o disco esfregar o bloco em um ponto, bata levemente com um martelo de borracha ou plástico, ou coloque um pano limpo sobre o disco e dobre-o levemente com uma chave ajustável. Não é preciso muito, então não exagere! E lembre-se: nunca toque a superfície de frenagem do rotor com as mãos desprotegidas, pois os óleos dos dedos podem diminuir o poder de frenagem.

Freio hidráulico de bicicleta

Use um freio hidráulico na sua bicicleta para melhorar sua segurança e reduzir o tempo gasto com manutenção.. Mas tome cuidado para escolher uma boa marca para os freios. (Foto: Vital MTB)

Ajustando o alcance da alavanca

Muitos novos sistemas de freio incluem alavancas de alcance ajustável que permitem personalizar a distância entre a empunhadura do guidão e a alavanca do freio. Isso geralmente envolve girar um parafuso que conecta a alavanca do freio ao corpo.

Se a distância de alcance de cada alavanca for desigual ou se uma alavanca se afastar mais do que a outra, tente igualar o curso girando os parafusos de limite de alavanca para dentro ou para fora (ligue para a fabricante ou consulte o manual do proprietário para obter instruções específicas). Se a alavanca ainda parecer esponjosa ou puxar completamente para a barra, pode haver ar na parte hidráulica. Hora de trazê-lo e nos fazer sangrar o sistema. Finalmente, inspecione todas as mangueiras e conexões hidráulicas quanto a vazamentos. Se você encontrar um vazamento, traga sua bicicleta para um profissional imediatamente

Verificação do desgaste da pastilha

Remoção: Com as rodas removidas, use os dedos ou o alicate de bico para agarrar as abas de remoção que se estendem abaixo da pastilha de freio interna (foto). Dependendo do sistema de freio que você está usando, puxe uma ou ambas as almofadas em linha reta para fora e em direção ao centro do corpo da pinça até que elas sejam completamente removidas. As almofadas também podem ter molas de retenção ou ímãs segurando-os no lugar que podem sair.

Inspeção: Se o preenchimento restante for mais fino que a espessura de uma moeda ou do que a marcação na pastilha, você precisará de novas pastilhas depois de mais alguns passeios. Se as pastilhas forem mais finas que um centavo, troque-as imediatamente. Insira os novas pastilhas no corpo da pinça da mesma forma como foram removidos, certificando-se de que as pastilhas estejam totalmente dentro do corpo do cáliper. Advertência: Não toque nem derrame nenhum líquido nas pastilhas, pois os óleos da pele ou outros fluidos podem causar perda de potência de frenagem.

Centrando as pinças

Os discos precisam ser centralizados nas pinças para maximizar a potência de frenagem, eliminar o arrasto e minimizar o ruído.

Alguns freios usam calços ou arruelas finas nos parafusos de montagem da pinça. Para esses freios, adicione ou remova os calços para centralizar a pinça sobre o disco.

Outro sistema de montagem popular usa um suporte de duas partes. Para ajustar a posição da pinça nesses freios, solte os dois parafusos de centralização que prendem a pinça ao suporte de montagem, aplique a alavanca do freio e aperte os parafusos. Dica: experimente colocar cartões de visita entre o disco e as pastilhas antes de aplicar os freios para ajudar a centralizar as pinças.

Ao aplicar o freio, também pode ajudar a sacudir suavemente o corpo da pinça para que ele descanse em uma posição centralizada e, em seguida, aperte os parafusos de montagem. Finalmente, gire a roda e verifique se o rotor está centralizado. Repita os ajustes, se necessário.

Lista de verificação pré-viagem para discos hidráulicos

Inspecione os discos do freio em busca de sujeira, detritos ou fluidos. Limpe com álcool, se necessário.

Gire as duas rodas e certifique-se de que os discos do freio estejam retos e não estejam roçando nas pastilhas.

Aperte as duas alavancas de freio para verificar o deslocamento correto da alavanca e o contato sólido da pastilha com os discos.

Inspecione todas as mangueiras e conexões hidráulicas quanto a vazamentos, uma vez por semana e antes de cada viagem.

Verifique os freios após uma queda para garantir que não há bolhas de ar nos freios.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas para que possamos ajudar!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)